Pós-graduações IMED 2013

domingo, 29 de março de 2009

Os dois cérebros

É impressionante o relato da neurocientista norte-americana Jill Bolte Taylor sobre a experiência de um acidente vascular cerebral (AVC) hemorrágico. Ela acordou um dia e percebeu que estava tendo um derrame, e esta experiência proporcionou-lhe uma visão bem distinta sobre o funcionamento do cérebro e a relação entre os hemisférios esquerdo e direito.

De forma sucinta, o hemisfério esquerdo processa as informações relacionadas com os componentes racionais-cognitivos, enquanto que o hemisfério direito realiza a integração de outros estímulos, não-racionais. A integração entre estas duas partes permite que nós nos relacionemos com o mundo como fazemos.

Entretanto, a experiência vivida por Taylor mostra como seria se nossa parte esquerda, racional, fosse "desligada" momentaneamente. O aspecto racional da análise das coisas seria fortemente suprimido, e o lado "sentimental" tomaria predominância na forma como percebemos e nos relacionamos o mundo.

Pode-se dizer que a descrição da experiência se aproxima de uma experiência mística; são relatados sentimentos de perda do "eu" e uma sensação de unidade com o Universo. Portanto, é interessante questionar se a predominância do funcionamento do hemisfério direito poderia favorecer as experiências religiosas.

O conteúdo da experiência de Taylor pode ser visto aqui.

4 comentários:

Guga disse...

Quando assisti o vídeo pensei na meditação. Li sobre uma pesquisa publicada na revista Galileu, que traz uma pesquisa feita com monges que praticam a meditação, onde mostra uma diminuição no fluxo sangüíneo em uma parte do hemisfério direito (no lobo pariental, parte ligada à orientação temporal e espacial. Dai acredito que vem a experiência "extra corpórea", ou sensação de "flutuação", alterações consideráveis acontecem no cérebro.

Deste êxtase químico, físico (não sei classificar) vem, acredito eu, o "Nirvana", ou a "experiência direta com o divino".

Abraço.

Serpsico disse...

Postei os três vídeos da Jill Bolte Taylor no meu blog. A experiência que ela viveu levanta a possibilidade de existir uma outra forma de consciência diferente daquela que caracteriza o que chamamos de nossa personalidade. Pergunto-me, como será acessar essa forma de consciência e que benefícios ela poderá nos trazer? Desde que entramos na escola estamos trinando nosso lado esquerdo do cérebro, como seria se trinássemos o lado direito? Que visão de mundo nós iríamos ter? Há quem diga que a meditação proporciona esse tipo de treinamento tenho bastante curiosidade em relação a tudo isso.

carlisa_peccin disse...

Achei bem interessante o relato, e também poderiamos nos perguntar se há pessoas que utilizam mais um hemisfério do que o outro ou em determinada circunstancia "desligaria" um ou o outro henisferio Por exempo: Utilizam mais o esquerdo do que o direito e vice-versa! que implicaria nessas sensações "esquisistas" que algumas pessoas dizem sentir ou ter ou ainda aquelas pessoas que estavam doentes e que se curam de forma estranha ou desconhecida e que acreditam ser DEUS quem as curou, algo assim. Eu nao sei como a neurociencia atua, nao li muita coisa a respeito... mas é mais ou menos isso que eu fiquei pensando!
abraço profe Vini!

Serpsico disse...

Indiquei seu blog para o anel de blogs científicos tudo bem?