Pós-graduações IMED 2013

domingo, 1 de março de 2009

A simplicidade do criacionismo

É interessante observar como o pensamento científico parece, talvez na maior parte das vezes, ir na contramão do raciocínio humano. Um exemplo disso é o fato de que é a Terra que gira em torno do Sol, e não o contrário. Bem, nossos sentidos nos dizem que é o Sol que gira em torno da Terra, afinal, estamos "parados", e fica difícil de imaginar que o que ocorre na verdade seja o contrário. Isso foi uma verdade por muito tempo, e foi a duras penas que o geocentrismo caiu.

O processo evolutivo dotou nosso cérebro com habilidades paradoxais: ao mesmo tempo que somos curiosos, parecemos preferir as respostas mais simples, mesmo que sejam imprecisas, porque isso gera menos ansiedade. Quando alguém está passando por algum problema, geralmente pensa: "O que fiz de errado para estar sofrendo assim?", e como tentativa de responder a essa questão, lança mão de uma resposta única: "Estou mal porque fiz isso", ou "É por culpa de Fulano". Uma resposta, mesmo que não tão precisa, reduz a ansiedade que certamente surge quando temos que lidar com várias alternativas, e corremos o risco de escolher a solução errada. E ansiedade excessiva reduz as chances de sobrevivência.

O criacionismo faz isso. Com a intenção de querer explicar a complexidade da vida e do universo, acaba "jogando" para a suposta existência de um ser superior a explicação, simples, de que este ser criou tudo. Esse mecanismo gera tranquilidade, mas no fim não explica muita coisa. Além disso, tem o inconveniente de "misturar" aspectos científicos com a dimensão moral. Em vez de clarear a discussão, este tipo de vínculo, realizado desta forma, torna o problema mais espinhoso, porque toca na nossa necessidade primata de amparo (vide A necessidade da fé).

8 comentários:

Schaiane Ribeiro disse...

Pois é... talvez a "A Simplicidade do criacionismo" exista, pelo fato de que pensar na realidade dos fatos encomoda...

Anônimo disse...

oa tarde Vinícius.

Estou fazendo um trabalho sobre abordagens atuais da psicologia cognitiva. Se possível, gostaria que me indicasse algum material no qual eu pudesse consultar.

Atenciosamente,

Ana Paula
anapaulagds@yahoo.com.br

Doctor Perplexorum disse...

Boa noite, Vinicius.

A maioria das pessoas buscam a resposta mais simples e imediata. Quando não sabem por que algo acontece, é mais comodo dizer "D'us quis assim". D'us é o asilo da ignorância.

A teoria da evolução foi apresentada há 150 anos por Darwin e ainda sofre fortes contestações. Os problemas de um debate público envolvendo a teoria da evolução e o criacionismo (hoje com a capa do design inteligente) são: que a evolução é ciência, ela envolve demonstração e teoria que, para uma população cientificamente ignorante não compreende, enquanto o criacionismo não tem compromisso com a demonstração, mas utiliza a retórica e a dialética, que consegue convencer as massas mais facilmente. E outro motivo é que as pessoas preferem se acomodar com suas convicções, e temém em pensar sob os outras coisas, derrubando suas bases. Temem aquilo que desconhecem.

Só o conhecimento liberta!

Abraço!
Frank

Serpsico disse...

Pessoal, acho que precisamos ter cuidado para não falarmos nas teorias mesmo científicas como se fossem verdades absolutas. O legal da ciência é que ela faz a crítica de se mesma, vc não vê um pastor criticando a doutrina de sua igreja, mas comumente vemos cientistas criticando as teorias e as práticas da ciência. Frases como "a realidade dos fatos" realmente me incomodam, pois os fatos não falam por se, nós é que atribuímos significado aos fatos. Um fato hoje pode ser muito bem explicado e essa explicação pode servir para nos satisfazer e resolver alguns de nossos problemas, mas no futuro nossas explicações serão insuficientes e serão substituídas, já os fatos continuam os mesmos, mas o que muda mesmo é o momento histórico que vai ditar nossas necessidades e até mesmo os fatos que queremos enxergar.

Serpsico disse...

Acrescentando, sempre esqueço alguma coisa!
Na minha opinião, um criacionista não duvida de sua explicação para a origem do universo, mas um cientista, seja ele evolucionista ou não deve duvidar de suas explicações para origem do universo.

Bruno Philipppsen disse...

É muito mais cômodo não se questionar...Sancta Simplicitas!
Mas que bom que saímos da Idade das Trevas e podemos questionar sem sermos incinerados! Abraço Vini!

Guga disse...

Vinícius, um vídeo bem engraçado

http://www.youtube.com/watch?v=6XXBBIWnyaM

T+

Guga disse...

Olá!

É simples, não há questionamento, você nasce nessa tradição fechada e proibitiva onde o deus bíblico é intocável. É proibido duvidar! Duvide e você é do time do cara vermelho que fede a enxofre. Sendo assim, quem quer nadar contra a correnteza? Poucos.

Vinícius, tem uns vídeos no tópico da Filosofia no site da turma que valem a pena: um do Atheist Communit of Austin e um do Dráuzio Varela.

Valeu!